sábado, 15 de setembro de 2012

Insetos

                                                                          

  1. Insetos 




Os insetos (AO 1945: insectos)[1] são invertebrados com exoesqueleto quitinoso, corpo dividido em três segmentos (cabeçatórax eabdómen), três pares de patas articuladasolhos compostos e duas antenas. Seu nome vem do latim insectum. Pertencem à classe Insectae compõem o maior e mais largamente distribuído grupo de animais do filo Arthropoda e, consequentemente, dentre todos os animais. [2] A ciência que se dedica a estudar os insetos é conhecida como Entomologia[3]
Os insetos são o grupo de animais mais diversificado existente na Terra. Embora não haja um consenso entre os entomologistas, estima-se que existam de 5 a 10 milhões de espécies diferentes, sendo que quase 1 milhão destas espécies já foram catalogadas. [4] Os insectos podem ser encontrados em quase todos os ecossistemas do planeta, mas só um pequeno número de espécies se adaptaram à vida nosoceanos. Existem aproximadamente 5 mil espécies de Odonata (libelinhas), 20 mil de Orthoptera (gafanhotos e grilos), 170 mil deLepidópteros (borboletas), 120 mil de Dípteros (moscas), 82 mil de Hemipteros (percevejos e afídeos), 350 mil de Coleópteros (besouros) e 110 mil de Hymenópteros (abelhasvespas e formigas).
Alguns grupos menores, com uma anatomia semelhante, como os colêmbolos, eram agrupados com os insectos no grupo Hexapoda, mas atualmente seguem um grupo parafilético Ellipura, tendo discussões filogenéticas relevantes no campo da biologia comparativa. Os verdadeiros insectos distinguem-se dos outros artrópodes por serem ectognatas, ou seja, com as peças bucais externas e por terem onzesegmentos abdominais. Muitos artrópodes terrestres, como as centopeiasmil-pésescorpiõesaranhas, como também microartrópodescolêmbolos são muitas vezes considerados erroneamente insectos.

                                         Infraclasse Palaeoptera

Caracterização

São insetos de tamanho pequeno, com máximo de 15 mm. Seu nome é derivado do grego archeo = primitivo + gnathos = mandíbula, em referência à mandíbula que se prendem em um único ponto de união com a cabeça. São muito parecidos com os Thysanura, porém são mais cilíndricos, com o tórax arqueado.
Apresentam olhos compostos grandes e contíguos, ocelos quase sempre presentes. Possuem palpos maxilares grandes, com 7 segmentos. As antenas são grandes.
O corpo é coberto de escamas. Há vesículas eversíveis no abdome, as quais absorvem água. Apresentam três cercos finos e longos, onde o filamento caudal mediano é maior que os demais. Não realizam metamorfose; para fazerem a ecdise, esses insetos precisam se cimentar ao substrato, através de seu material fecal. Não há cópula; os machos deixam o espermatóforo no solo para ser coletado por uma fêmea.
Vivem sob folhas, rochas, troncos e madeira em decomposição. Muitos são noturnos. Alimentam-se de algaslíquensmusgos e matéria orgânicaem decomposição. Quando perturbados, podem saltar a distâncias de até 30 cm.

                                               
                                                    

Caracterização

São animais longos, de corpo mole e de tamanho pequeno a médio, podendo atingir até quatro cm de comprimento. O nome efémera está relacionado com o fato do adulto viver apenas poucas horas, sem se alimentar, dedicadas apenas à reprodução e à postura dos ovos da geração seguinte.
Possuem asas membranosas com numerosas veias, sendo as asas posteriores menores que as anteriores. Apresentam antenas pequenas, olhos compostos bem desenvolvidos e três longos filamentos no abdome. As efémeras adultas caracterizam-se por peças bucais atrofiadas e um sistema digestivo não funcional, enquanto que as ninfas possuem peças bucais do tipo mastigadoras.
As ninfas das efémeras vivem na água, em geral escondidas sobre rochas. A maioria das espécies alimenta-se de detritos ou matéria vegetal, mas algumas são predadoras. Ao contrário do adulto, que vive pouco tempo (de algumas horas até 2 dias), as ninfas podem viver de várias semanas até três anos. São os únicos insetos que sofrem muda após terem adquirido asas funcionais.
As efémeras habitam zonas perto de corpos de água doce parada ou de curso lento. O grupo é essencial para a ecologia dos seus habitats dada a importância das suas ninfas na cadeia alimentar. Graças à sua sensibilidade às condições fisico-químicas do meio, as efémeras são um dos grupos mais utilizados em programas de biomonitoramento de qualidade da água.


         



Odonata


A ordem Odonata (do grego odontos, dente + ata, caracterizado por) da classe Insecta compreende aqueles insetos conhecidos como libélulas(no Brasil) ou libelinhas (em Portugal e nos PALOP). O termo Odonata refere-se tanto ao grupo quanto às espécies da subordem Epiprocta em geral, ou à infra-ordem Anisoptera em sentido estrito.

Acreditava-se que Anisoptera fosse uma subordem, e que existisse uma terceira, Anisozygoptera (libélulas primitivas). Entretanto estas foram agrupadas na subordem Epiprocta.

Estes insetos têm como característica uma cabeça arredondada, coberta principalmente de olhos facetados, pernas que facilitam a captura de presas (outros insetos) em vôo, dois pares de asas longas e transparentes que se movimentam de modo independente, e um elegante abdome.

A subordem Epiprocta inclui as libélulas e a infraordem Anisoptera (libélulas verdadeiras).


Ficheiro:Orthetrum cancellatum.jpg



Superordem Orthopterodea

Barata



Blattaria ou Blattodea é uma ordem de insetos cujos representantes são popularmente conhecidos como baratas. É um grupo cosmopolita, sendo que algumas espécies (menos de 1%) são consideradas como sinantrópicas. Dentre os principais problemas que as baratas podem ocasionar aos seres humanos está a atuação delas como vetores mecânicos de diversos patógenos (bactériasfungosprotozoáriosvermes evírus). As baratas domésticas são responsáveis pela transmissão de várias doenças, através das patas e fezes pelos locais onde passam. Por isso são consideradas perigosas para a saúde de seres humanos.[1]

Entre as espécies mais conhecidas pragas são a barata americanaPeriplaneta americana, que mede cerca de 30 milímetros (1,2 in) de comprimento, a barata alemãBlattella germanica, cerca de 15 milímetros (0,59 in) de comprimento, a barata asiáticaBlattella asahinai, também cerca de 15 milímetros (0,59 in) de comprimento, e a barata Oriental, cerca de 25 milímetros (0,98 in). Baratas tropicais são muitas vezes muito maior, e os parentes extintos das baratas são as 'roachoids', como o Archimylacris Carbonífero e o Permiano Apthoroblattina não eram tão grandes como as maiores espécies modernas.[1]

Existentes a mais de 300 milhões de anos, as baratas já somam cerca de 5.000 de espécies no mundo. O corpo das baratas tem formato ovular e deprimido. Seu tamanho pode variar de alguns milímetros até quase 10 centímetros.[2] A cabeça é curta, subtriangular, apresentando olhos compostos grandes e geralmente dois ocelos (olhos simples). Em geral são de coloração parda, marrom ou negra, porém existem espécies coloridas. Nas zonas tropicais, predominam as de cor marrom avermelhada, além das cores verde e amarela.[1]

O formato e o tamanho variam dependendo da espécie, mas em gênero podemos dizer que as fêmeas são maiores que os machos, porém os machos têm as asas mais desenvolvidas. A alimentação é variada.[2] As baratas são insetos onívoros, ou seja, comem qualquer coisa, tendo principal atração por doces, alimentos gordurosos e de origem animal.[2] Uma curiosidade é que podem viver uma semana sem beber água e até um mês sem comer.Conseguem perceber o perigo através de mudanças na corrente do ar à sua volta. Elas possuem pequenos pelos nas costas que funcionam como sensores, informando a hora de correr.[1][2]

                    

   Ficheiro:Cockroachcloseup.jpg

Louva-a-deus


louva-a-deus ou cavalinho-de-deus é um inseto da ordem Mantodea. Há cerca de 2400 espécies de louva-a-deus, a maioria das quais em ambiente tropical e subtropical. Seu nome popular decorre do fato de que, quando está pousado, o inseto lembra uma pessoa orando. Os louva-a-deus são insetos relativamente grandes, de cabeça triangular, tórax estreito com pronoto e abdómem bem desenvolvido. São predadores agressivos que caçam principalmente moscas e afídios. A caça é feita em geral de emboscada, facilitada pelas capacidades de camuflagem do louva-a-deus. Como não possuem veneno, os louva-a-deus contam com as suas pernas anteriores que são raptatórias, ou seja, modificadas como garras, para segurar a presa enquanto é consumida. A sua voracidade leva a que sejam considerados muito bem vindos pelos amantes da jardinagem eagricultura biológica, uma vez que, na ausência de pesticidas, são um fator importante no controlo de pragas de jardim. Na América do Norteocorrem apenas três espécies de louva-a-deus, duas das quais introduzidas no início do século XX para este mesmo efeito.

O voo do louva-a-deus é algo impressionante. Remete ao voo de um caça de combate. Ele também tem a capacidade de desviar de ataques de morcegos em pleno voo executando mergulhos.

O louva-a-deus é um animal muito venerado na China, tendo inclusive estilos de Kung Fu baseados em seus movimentos.






Cupim



cupim (português brasileiro) ou térmite, térmita (português europeu) ou salalé (português de Angola) ou ainda muchém (português de Moçambique) é uminseto eusocial da ordem Isoptera, que contém cerca de 2.800 espécies catalogadas no mundo. Esses insetos são mais conhecidos por sua importância econômica como pragas de madeira e de outros materiais celulósicos, ou ainda pragas agrícolas, entretanto, apenas cerca de 10% das espécies conhecidas de cupins,estão registradas como tal.

Em número de espécies, a ordem Isoptera deve ser considerada intermediária entre os insetos, já em termos de biomassa e abundância, os cupins apresentam enorme significância e podem ser comparados às formigas, minhocas, mamíferos herbívoros das savanas africanas ou seres humanos, por exemplo, e estão entre os mais abundantes invertebrados de solo de ecossistemas tropicais. Esta grande abundância dos cupins nos ecossistemas, aliada à existência de diferentes simbiontes, confere a estes insetos a possibilidade de desempenhar papéis como o de "super decompositores" e auxiliares no balanço Carbono-Nitrogênio (Higashi & Abe, 1997).




Zoraptera


Zoraptera é uma ordem muito pequena de insetos, há cerca de 30 espécies conhecidas apenas, distribuídas em dois gêneros: um extintocontendo uma única espécie do Cretáceo (Xenozorotypus burmiticus Engel and Grimaldi, 2002), e o outro contendo as demais espécies. Sãoanimais pequenos em tamanho, alcançando menos de 3 mm de comprimento. Possuem cercos segmentados e antenas moniliformes divididas em nove antenômeros.

São geralmente achados sob casca de árvores ou em húmus e folhiço. Possuem formas aladas (com asas) e ápteras (sem asas). A forma áptera é a mais comum, geralmente de cor branca e sem olhos compostos nem ocelos, ao passo que as formas aladas têm tanto olhos compostos como ocelos e são mais pigmentados. Embora possuam em média menos que 3 mm de comprimento, um zoráptero alado pode ter uma envergadura de asas total de cerca de 7 mm. Como nos cupins (Isoptera), eles podem soltar suas asas voluntariamente. Alimentam-se de esporos de fungos e outros pequenos artrópodes. O nome Zoraptera vem do grego e signfica "puramente sem asas" (foram nomeados antes das formas aladas serem descobertas). 




Grylloblattodea

Os Grylloblattodea constituem uma pequena ordem de insetos ápteros (sem asas), que contam com apenas 25 espécies descritas do topo demontanhas frias do Hemisfério Norte. A origem do nome da ordem está relacionada a presença de características de ortópteros, em especial dosgrilos, e de baratas (radicais latinos gryllus + blatta).
Ficheiro:Galloisiana nipponensis.jpg

Dermaptera


As tesourinhas ou dermápteros são insetos pterigotos da ordem Dermaptera, que conta com cerca de 1800 espécies descritas em todo o mundo. Apesar da distribuição cosmopolita, a maior diversidade da ordem é alcançada nas regiões tropicais e subtropicais. O nome Dermaptera vem do Gregoderma – peleptera - asas, e se refere às asas anteriores que são coriáceas (espessas) e protegem as asas posteriores, que são membranosas (delgadas)

Ficheiro:Forficula auricularia.jpg



Plecoptera


Os Plecoptera constituem uma pequena ordem de insetos aquáticos, com pouco mais de 2000 espécies descritas. Eles ocorrem por quase todo o mundo, à exceção da Antártida e em uma grande variação de altitudes (0 a 5600m). O nome da ordem tem origem na junção de dois radicaisgregospleco + ptera, que significa asa dobrada. Assemelham-se superficialmente a ortópteros e embiídeos, mas diferem dos primeiros em relação à venação das asas e pelos dois pares de asas serem membranosas; diferem dos embiídeos por não possuírem o primeiro par de pernasespecializados para a produção de seda e pela presença de ocelos.




Orthoptera


Orthoptera (do grego orto - pteros (asas retas)) é uma ordem de insetos que possuem as asas superiores retas e coriáceas, recobrindo as asas inferiores mais largas, dobradas no seu sentido longitudinal. Tais insetos possuem pernas posteriores longas e possantes, apropriadas para saltar, o aparelho bucal e mastigador. Pertencem a esta ordem os insetos conhecidos popularmente como grilosgafanhotosesperanças e paquinhas. Esses insetos possuem o terceiro par de pernas do tipo saltatorial, sendo esse o caráter que os separa das demais ortopteróides (baratas, louva-a-deus e bichos-paus). O primeiro par de asas é tégmina, utilizadas para proteção, e o segundo par é de asa membranosa utilizada para vôo. O aparelho bucal é do tipo mastigador, ou seja, sem modificações das peças bucais. As antenas são filiformes ou setáceas, o comprimento das antenas são características utilizadas para identificar algumas famílias, O primeiro par de pernas pode ser ambulatorial ou fossorial. A reprodução é geralmente sexuada e a maior parte das espécies é ovípara, embora existam espécies partenogenéticas. O desenvolvimento é por hemimetabolia (ovo, ninfa, adulto), o desenvolvimento das asas é do tipo exopterigota, sendo observado a teca alar nas formas jovens. O protórax é o segmento torácico mais desenvolvido, o abdome é séssil com 11 urômeros. As fêmeas podem apresentar ovipositor longo com aspecto de lâminas ou cilíndrico, porém há espécies com ovipositor muito curto. Algumas espécies possuem cercos longos. A maioria dos ortópteros apresenta tímpanos (órgãos auditivos) localizados de cada lado do primeiro urômero ou na base das tíbias anteriores. A maioria dos ortópteros produzem sons, o canto desses insetos é conseguido por estridulação, ou seja, atritando uma parte do corpo contra a outra. Em geral, somente os machos possuem órgãos estridulatórios. Os ortópteros em geral são de hábitos terrestres e fitófagos, sendo algumas espécies pragas de gramíneas, hortaliças, mudas de cafeeiro, de eucalipto etc.

Phasmatodea

Os insetos da ordem Phasmatodea são conhecidos como bicho-pau e bicho-folha (ou insecto-pau e insecto-folha), por sua eficiente camuflagemque os torna semelhantes a pedaços de madeira ou a folhas, disfarçando-os em meio a vegetação.
Ficheiro:LeafInsect.jpg

Embioptera

Os embiídeos são insetos pterygotos pertencentes a ordem Embioptera, que conta com cerca de 200 espécies descritas.

Ficheiro:Embia major.jpg 


Superordem Hemipterodea

Mantophasmatodea


Mantophasmatodea é uma ordem de insetos descoberta no ano de 2002 pelo entomólogo alemão Oliver Zompro. Foram apelidados degladiadores, devido à "armadura" que cobre estes insetos no estágio de ninfa. Habitam o oeste da África do Sul e Namíbia (maciço de Brandberg). Porém, fósseis do Eoceno sugerem uma distribuição mais ampla no passado.

[editar]Morfologia


A cabeça é hipognata e o aparelho bucal do é do tipo mastigador. As antenas são longas, filiformes e multissegmentadas. Não possuem ocelos. São insetos ápteros quando adultos. Apresentam pernas traseiras bem desenvolvidas e as dianteiras crivadas de espinhos, não possuindo patas raptoriais. São carnívoros e caçam à noite.

O nome da ordem tem origem no fato de se assemelharem a um louva-deus (ordem Mantodea) e, ao mesmo tempo, a um bicho-pau (ordemPhasmatodea). Evidências moleculares moleculares indicam maior proximidade evolutiva aos Phasmatodea e Grylloblattodea.

A ordem foi descrita inicialmente a partir de cinco espécimes vivos encontrados na Namíbia e Tanzânia (Mantophasma zephyra e M. subsolana) e de um espécime fóssil do âmbar proveniente de uma coleção da University of Hamburg (Alemanha) e retirado do Mar Báltico, datado de 45 milhões de anos (Rhaptophasma kerneggeri).
                                                         Ficheiro:Mantophasma zephyra Zompro et al 2002.jpg

Psocoptera


Os Psocoptera são pequenos insetos hemipteróides de vida livre, exopterygotos neóptera, com cabeça grande e móvel; antenas filiformes e pós-clípeo bulboso. As mandíbulas são assimétricas, maxilas com lacínia arredondada, palpos labiais reduzidos. Suas quatro asas membranosas são mantidas “em telhado” sobre o abdome, e têm venação reduzida; braquipteria e apteria de um dos sexos é frequente no grupo. Os tarsos são dímeros ou trímeros em adultos, mas sempre dímeros nas ninfas. Não apresentam cercos.

O tamanho dos adultos varia de 1 a 10mm. São encontrados em todas as regiões biogeográficas do mundo. A forma da hipofaringe dos Psocoptera é peculiar porque apresenta adaptações anátomo-fisiológicas para absorver vapor de água do ar atmosférico.

É uma ordem relativamente pequena, com pouco mais de 3.000 espécies descritas.
Ficheiro:Graphopsocus cruciatus 02.jpg

Piolho


Piolho é o nome geral dado aos insetos da ordem Phthiraptera (do grego phthirus=achatado; a=sem; ptera=asas), que contém mais de 3000 espécies. Estes insectos não têm asas e são parasitas externos (ectoparasitas) de mamíferos (com exceção dos monotremados e morcegos) e das aves. Os piolhos são actualmente classificados em quatro subordens:


Os piolhos habitam o cabelo ou pelagem do hospedeiro, onde se alimentam de sangue, resíduos da epiderme ou de penas e secrecções sebáceas. Cada espécie tem uma relação exclusiva com um determinado tipo de hospedeiro, o que significa que, por exemplo, um piolho de ave não afecta humanos e vice-versa. Esta característica torna os piolhos muito dependentes do sucesso da espécie do hospedeiro. Calcula-se que tenhamdesaparecido três espécies de iscnocerídeos quando os últimos 20 condores da Califórnia foram trazidos para cativeiro e desinfestados.
Os piolhos têm entre 0,5 e 8 mm de comprimento, corpo achatado e garras que lhes permitem a fixação ao hospedeiro. Os ovos do piolho, oulêndeas, são esbranquiçados e postos na pelagem ou penas dos hospedeiros. Em humanos, a infestação por piolhos é denominada pediculose.
Antigamente, o combate à pediculose dava-se através de xampus (escabin etc.) com agentes antiparasitários e a coleta de lêndeas e piolhos com o uso de pentes finos. Esse tratamento era doloroso, em especial para as crianças. Hoje esse tratamento ainda existe, mas geralmente complementar ao uso da Ivermectina (medicamento "tarja vermelha", ou seja, deve-se usá-lo sob recomendação médica; além disso, não deve-se ministrar essa substância em crianças de idade inferior a cinco anos ou peso inferior a 15 kg).
Ficheiro:Pediculus humanus capitis CDC9217.png.png

Hemiptera


Hemiptera é uma ordem de insectos que compreende cerca de 67 500 espécies conhecidas, distribuídas por quatro subordens: Sternorrhyncha,AuchenorrhynchaHeteroptera e Homoptera.

Existem espécies desta ordem distribuídas por todo o mundo; distinguem-se dos outros insectos por possuírem peças bucais adaptadas à perfuração e sucção alojado numa longa "tromba" ou "bico", tanto na forma adulta como em ninfas. Ainda que a maioria se alimente de seiva e outros sucos produzidos por plantas (fitófagos), algumas espécies são hematófagas (alimentam-se de sangue) de outros animais e outras são entomófagas (predadores de outros insectos).  


Ficheiro:Cicadella viridis web.jpg

Thysanoptera


Thysanoptera é uma ordem de insetos, chamados genericamente de tripes. São insetos pequenos, variando de 0,5 a 13 mm, de cor escura na fase adulta. A sua principal característica morfológica são as asas do tipo franjada ou asas franjadas.

Em alguns lugares do Brasil o seu nome vulgar é "lacerdinha".

Superordem Endopterygota


Neuroptera



Neuroptera é uma ordem de insectos, ditos neurópteros, onde se classificam a formiga-leão, o crisopídeo, a crisopa.

Besouro


Os besouros, também chamados de escaravelhos, são insetos pertencentes à ordem Coleoptera. A palavra Coleoptera vem do grego κολεός,koleos (estojo) e πτερόν, pteron (asas), como uma referência a uma importante característica dos besouros: um par de asas anteriores rígidas, conhecidas como élitros, que protegem como um "estojo" as asas posteriores, que são membranosas e delicadas.[1]
A ordem Coleoptera é a que tem o maior número de espécies dentre todos os seres vivos — cerca de 350 mil — sendo portanto o grupo animalmais diversificado existente.[2] Dentre os seus representantes mais conhecidos estão as joaninhas, os besouros-rinocerontes, os gorgulhos, osbesouros-serra-pau e os vaga-lumes. A maior família dentro da ordem coleoptera (e também dentre todo o reino animal) é a família Curculionidae, com mais de 50.000 espécies diferentes, que caracterizam-se pelo rostro comprido que possuem.[3]
Os coleópteros apresentam uma enorme diversidade morfológica. Ocupam particamente qualquer habitat, incluindo os de água doce, embora a sua presença em ambientes marinhos seja mínima. São na grande maioria animais fitófagos, o que torna alguns besouros verdadeiras pragas deculturas, como é o caso de certos besouros-da-cana, por exemplo.[4] Outros, como as joaninhas, são vorazes predadores de afídeos (pulgões) e, portanto, desempenham um papel importante no combate a estas pragas.[5]
Ficheiro:Drawing-1.png

Diptera


Diptera (Di duas, ptera asas - dípteros) é uma ordem de insectos, caracterizada pelo tamanho reduzido das asas traseiras e pela proeminência das asas dianteiras. O grupo tem cerca de 120,000 espécies. O registo fóssil mais antigo dos Diptera data do Triássico superior (225 milhões de anos atrás).
Os Dípteros uma das maiores ordens de insetos e seus representantes abundam em indivíduos e espécies em quase todos os lugares. A maioria dos Diptera distingue-se prontamente dos outros insetos alados por possuir somente um par de asas, correspondente ao par anterior, transformando-se o par posterior se em pequenas estruturas clavadas denominadas halteres, que funcionam como órgãos de equilíbrio (Borror & De Long, 1964). A ordem Diptera pode ser dividida em duas sub-ordens (Mac Alpine, 1981): Nematocera e Brachycera.
A sub-ordem Nematocera engloba os dípteros que possuem antenas com mais de seis segmentos livremente articulados, como os mosquitos(Culicidae), borrachudos (Simuliidae) e flebotomíneos (Psycodidae).
A sub-ordem Brachycera reúne aqueles dípteros que possuem antenas com 3 a 5 segmentos, sendo que o último segmento pode ser anelado ou portar uma arista.
Dentro de Brachycera e da infraordem Muscomorpha (Antiga sub-ordem Cyclorrapha), estão as famílias conhecidas como dípteros superiores ou dípteros muscóides.
A ordem diptera subdivide-se em três sub-ordens:
Ficheiro:Hooke-bluefly.jpg

Lepidoptera


Lepidoptera é uma ordem de insectos (lepidópteros) muito diversificada que inclui as borboletas e um grupo chamado de traças em Portugal oumariposas no Brasil. O grupo inclui insectos com dois pares de asas membranosas cobertas de escamas e peças bucais adaptadas a sucção. O ciclo de vida dos lepidópteros é holometabólico e engloba quatro etapas: ovolarva (quando é especificado por lagarta), pupa (especificada comocrisálida) e imago (a fase adulta).
Existe boa diversidade de formas e comportamentos dentre os lepidópteros. É comum em varias especies o uso de aposematismomimetismo ecamuflagem (tanto na fase adulta quanta na larval) como meios de defesa contra predadores. Algumas também apresentam toxinas no corpo, sendo que no caso de algumas lagartas esta pode ser "injetada" em seus atacantes por meio de cerdas que o animal possui no dorso.
Algumas espécies possuem um tempo de vida extremamente curto quando chegam à fase adulta, em muitos casos apenas o necessario para areprodução. Geralmente nestes casos, o animal adulto nem sequer se alimenta, possuindo o aparelho bucal atrofiado, sendo que acumulam toda a energia necessaria para viver no estagio larval. As que se alimentam na fase adulta o fazem através da sucção de liquidos, geralmente o nectar de flores ou o sumo de frutos em decomposição. Muitas especies tem grande importância na polinização de diversas plantas.
Ficheiro:Cramer&Stoll-uitlandsche kapellen vol. 1- plate 008.jpg

Hymenoptera


A ordem Hymenoptera é um dos maiores grupos dentre os insetos, compreendendo as vespasabelhas e formigas. Possui atualmente cerca de 115.000 espécies descritas (Hanson & Gauld, 1995), distribuídas em 99 famílias taxonômicas (Goulet & Huber, 1993). O nome é derivado do grego(hymen = membrana; ptera = asas), com as espécies deste grupo apresentando dois pares de asas membranosas, sendo que as asas anteriores são maiores do que as posteriores. Alguns grupos, como as formigas operárias e as vespas da família Mutilidae, perderam secundariamente as asas.
As fêmeas possuem um ovipositor típico que permite a perfuração do hospedeiro ou acessar locais inacessíveis, estando muitas vezes modificado em um ferrão. Pode ser até 6 vezes maior do que o comprimento do corpo em diversos grupos, ou tão curto que é dificilmente visível. O desenvolvimento é do tipo holometabólo (metamorfose completa), que apresenta os estágios de ovo, larvapupa e adulto.
O grupo inclui uma impressionante diversidade de formas, tamanhos e hábitos de vida. Os maiores himenópteros podem alcançar cerca de 15 cm de comprimento, tais como as vespas caçadoras da família Pompilidaemarimbondos da família Vespidae e vespas parasitóides da famíliaIchneumonidae. Os menores são as vespas da família Trichogrammatidae, que podem ter apenas 1 mm de comprimento.
Ficheiro:Hymenoptere(s).jpg



Nenhum comentário:

Postar um comentário