segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Aves Gruiformes

Aves Gruiformes

Gruiformes é uma ordem de aves que engloba 11 famílias de características muito distintas. A diversidade observada no grupo, que integra aves como o grou ou as abetardas, sugere que este seja artificial, mas até agora é esta a classificação mais aceite.

As aves gruiformes estão distribuídas por toda a Terra, exceto na Antártida e algumas ilhas oceânicas. Habitam zonas de todos os climas e habitats diversos, desde zonas áridas ou desérticas até áreas banhadas por lagos ou rios. A maioria das espécies é terrestre, mas existem também exemplos de gruiformes arborícolas.

Carão

O carão (Aramus guarauna) é uma ave gruiforme, presente no estado da Flórida e do México à Bolívia e Argentina e Brasil. É o único representante da família Aramidae e do gênero Aramus.
O carão mede até 70 cm de comprimento, possuindo o corpo pardo-escuro com garganta branca, bico com mandíbula amarela, cabeça e pescoço estriados de branco e pernas negras. Constrói o ninho no solo, onde põe cerca de seis ovos por época. Alimenta-se de pequenos animais aquáticos, principalmente caracóis. Habita zonas pantanosas.

Ficheiro:Limpkin1.jpg

Jacamirim-de-Costas-Brancas

Psophia leucoptera é uma espécie de ave da família Psophiidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Bolívia, Brasil e Peru.
Os seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude.

Ficheiro:Psophia leucopterar -Puerto Maldonado-8.jpg

Jacamirim-de-Costas-Cinzas

O jacamim-das-costas-cinzas (Psophia crepitans) é uma ave gruiforme pertencente à família Psophiidae (jacamins), que habita unicamente no noroeste da Amazônia, em Colômbia, Venezuela, Brasil e o nordeste do Peru.
Medem entre 48 e 56 cm de altura e pesam como ponto médio 1,3 kg. O corpo é arredondado; as patas longas e fortes, adaptadas a seus hábitos terrestres; o pescoço comprido e o bico corto e amarelo. A plumagem é preta ou preta-azulado com as asas cinzas. Rara vez voam e só por distancias cortas. Podem nadar.
Moram en bandas de 5 a 50 indivíduos que recorrem as florestas úmidas buscando frutos, sementes, insetos e pequenos répteis que lhes servem de alimento. A fêmea põe em buracos das árvores de 3 a 4 ovos brancos, que são incubados por diferentes membros do grupo de ambos sexos.
Cantam com um zunzum baixo, mas como os jacamins fazem chamadas com um som muito forte, grave e ruidoso que se escuta na distancia. Por isso são domesticados para que sirvam como guardiões. Se lhes atribui capacidade para espantar o matar as serpentes. Se adaptam bem à domesticidade e convivem com outras aves de curral. São utilizados também como aves ornamentais.
Por ser sua carne comestível há perigo de que esta espécie desapareça nas zonas de colonização.
Outras espécies de jacamim podem-se distinguir facilmente por o cor das asas: Psophia viridis de asas verdes obscuras e Psophia leucoptera de asas brancas.

Ficheiro:Psophia crepitansPCCA20051227-1968B.jpg

Jacamirim-de-Costas-Verdes



O jacamim-das-costas-verdes (Psophia viridis) é uma ave gruiforme pertencente à família Psophiidae (jacamins).
É uma ave de médio porte, com cerca de 49 cm de comprimento e 46 de altura, pesando cerca de 1,1 kg. O jacamim-das-costas-verdes é uma espécie endêmica do Brasil e pode ser encontrado na região Amazônica compreendida entre a margem direita do Rio Madeira e o Maranhão, estendendo-se para o sul até o norte de Mato Grosso.
O jacamim-das-costas-verdes habita florestas úmidas ao nível do solo, sendo comum em regiões bem preservadas, onde não há caça. É uma ave gregária, que vive em bandos de dimensão variável (até a algumas dezenas de elementos), chefiados por um líder.
A sua alimentação é onívora e baseiam-se em insetos vários, centopéias, sementes, frutos e pequenas serpentes, que caça ciscando a folhagem caída no chão. Quando tem oportunidade, consome também carniça, o que faz com que seja conhecido também como urubu-do-chão e urubu-da-terra, no Pará. Quando assustado, o jacamim-das-costas-verdes voa para galhos próximos, e daí para o alto das árvores. Dorme empoleirado.
Faz ninho em buracos espaçosos no alto das árvores, pondo ovos arredondados, de cor branca, cujo período de incubação dura em torno de 27 dias. O macho é um pouco menor do que a fêmea. Conhecido também como jacamim-verde. Em tupi o termo jacamim significa "o que tem cabeça pequena".




Gallinula

Gallinula é um género de aves gruiformes ralídeas onde se classificam nove espécies conhecidas como frangos-de-água no Brasil ou galinhas-de-água em Portugal. São aves aquáticas, que habitam zonas pantanosas, lagos e lagunas e margens de grandes rios.
As espécies do gênero Gallinula são aves de médio porte, com plumagem em tons de castanho e preto. Têm patas altas e dedos muito compridos, adaptados para caminhar em terrenos irregulares e lamacentos. São omnívoras, com uma alimentação à base de plantas aquáticas e suplementada com pequenos animais e ovos de outras aves. Durante a época de reprodução, os casais são muito territoriais e agressivos para com intrusos, mas fora do período de nidificação têm hábitos gregários e podem ser observadas em bandos numerosos.

Ficheiro:Gallinula chloropus Common Moorhen 750px.jpg

Galinha-d'Água

A galinha-d'água-comum mede aproximadamente 37 cm de comprimento. Apresenta um escudo facial vermelho, faixas brancas nos flancos, plumagem negra e patas amarelas. Os imaturos são castanho-escuros com abdome mais claro, sem o escudo facial vermelho.
Alimenta-se de uma grande variedade de material vegetal, além de pequenos animais aquáticos. Freqüenta lagos, lagoas, canais, pântanos e também lagunas salobras. É ave migratória, deslocando-se para o norte durante o inverno austral.
O ninho é uma cesta coberta construída no chão em vegetação densa. A fêmea deposita entre 8 e 12 ovos. Pode haver uma segunda ninhada no ano, composta entre 5 e 8 ovos. A incubação dura aproximadamente três semanas e é realizada por ambos os pais.

Ficheiro:IMG 8000-Rombergpark.JPG

Ficheiro:Gallinula chloropus -Regents Park, London, England -chicks-8.jpg

Frango-d'Água-Carijó

O frango-d'água-carijó (Gallinula melanops) é uma espécie de ave da família Rallidae.

Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai.
Os seus habitats naturais são: pântanos e lagos de água doce.

Ficheiro:Adult Spot-flanked Gallinule.jpg

Frango-d'Água-Azul

Ficheiro:PurpleGallinule.jpg



Saracura-de-Três-Potes

A saracura-três-potes (Aramides cajanea) é uma espécie de saracura recorrente em áreas alagadas no Brasil, bem como do México à Argentina. Tais aves possuem cabeça e pescoço cinza, partes inferiores castanhas, abdome negro, bico esverdeado e pernas vermelhas. Também são conhecidas pelos nomes de saracura-do-brejo, sericóia, sericora e três-potes.

Ficheiro:Aramides cajanea plumbeicollis.jpg

Saracura-do-Brejo

A saracura-do-brejo (Aramides saracura) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Brasil e Paraguai.
Os seus habitats naturais são: florestas temperadas, florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude, regiões subtropicais ou tropicais úmidas de alta altitude e rios.

Ficheiro:Aramides saracura.jpg


Saracura-do-Mangue



A saracura-do-mangue (Aramides mangle) é uma espécie de saracura que é endêmica do Brasil, encontrada em manguezais e matas adjacentes do estado do Pará ao Rio de Janeiro. Tais aves chegam a atingir 32 cm de comprimento, possuindo cabeça, pescoço e manto cinzentos, dorso oliváceo, abdome ferrugíneo e bico verde com a base vermelha. Também são conhecidas pelo nome de saracura-da-praia.

Little Wood-Rail (Aramides mangle)

Saracura-Lisa

A saracura-lisa (Amaurolimnas concolor) é uma espécie de ave da família Rallidae. É a única espécie do gênero Amaurolimnas.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Belize, Bolívia, Brasil, Ilhas Cayman, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guiana Francesa, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Peru, Porto Rico, Venezuela e possivelmente em Jamaica.
Os seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude, pântanos subtropicais ou tropicais e florestas secundárias altamente degradadas.


Saracuraçu

O saracuraçu (Aramides ypecaha) é uma espécie de saracura de grande porte que habita o Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. Tais aves medem cerca de 46 cm de comprimento, possui bico verde, pescoço cinzento, ventre ferrugíneo, uropígio e cauda negros. Também são conhecidas pelo nome de saracuruçu.

Ficheiro:Giant Wood Rail (Aramides ypecaha).jpg

Frango-d'Água

O frango-d'água (Rallus aquaticus) é uma ave da família Rallidae. Caracteriza-se pela plumagem azul e castanha e pelo longo bico vermelho.
Freqüenta habitats aquáticos com vegetação emergente bem desenvolvida, nomeadamente caniçais e tabuais. Em Portugal distribui-se um pouco por todo o território, sendo mais comum no litoral, onde encontra maior disponibilidade de habitat. É uma espécie residente.

Ficheiro:Rallus aquaticus 4 (Marek Szczepanek).jpg

Sanã-Parda

O sanã-parda (Laterallus melanophaius) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.
Os seus habitats naturais são: pântanos.

Ficheiro:Laterallus melanophaius.JPG

Sanã-do-Banhado

A saracura-do-banhado (Pardirallus sanguinolentus) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Ilhas Malvinas, Paraguai, Peru, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul e Uruguai.
Os seus habitats naturais são: pântanos.

Ficheiro:Pardirallus sanguinolentus -Rio Grande do Sul-8.jpg


Sanã-do-Capim



A sanã-do-capim (Laterallus exilis) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Belize, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guiana Francesa, Guatemala, Guiana, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago e Venezuela.
Os seus habitats naturais são: pântanos e pastagens.

Grey-breasted Crake in typical habitat

Sanã-Vermelha

A sanã-vermelha (Laterallus leucopyrrhus) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.
Os seus habitats naturais são pântanos.

Red-and-white Crake (Laterallus leucopyrrhus)

Sanã-de-Cara-Ruiva

A sanã-de-cara-ruiva (Laterallus xenopterus) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Bolívia, Brasil e Paraguai.
Os seus habitats naturais são: campos de gramíneas de baixa altitude subtropicais ou tropicais sazonalmente úmidos ou inundados.
Está ameaçada por perda de habitat.


Sanã-Amarela

A sanã-amarela (Porzana flaviventer) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Belize, Bolívia, Brasil, Ilhas Caymans, Colômbia, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, El Salvador, Guiana Francesa, Guatemala, Guiana, Haiti, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá,Paraguai, Porto Rico, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai, Venezuela, as Ilhas Virgens Americanas e possivelmente em Equador.
Os seus habitats naturais são pântanos.



Porzana flaviventer - Yellow-breasted Crake - Zapata - Cuba 2.jpg 


Sanã-Cinza



A sanã-cinza (Porzana spiloptera) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Brasil e Uruguai.
Os seus habitats naturais são: campos de gramíneas subtropicais ou tropicais secos de baixa altitude, campos de gramíneas de baixa altitude subtropicais ou tropicais sazonalmente úmidos ou inundados, lagos de água doce, marismas de água doce e lagoas costeiras de água salgada.
Está ameaçada por perda de habitat.



Carqueja-de-Bico-Manchado

A carqueja-de-bico-manchado (Fulica armillata) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Ilhas Malvinas, Paraguai, Santa Helena, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul e Uruguai.
Os seus habitats naturais são: pântanos e lagos de água doce.

Ficheiro:Red-gartered-coot.jpg

Carqueja-de-Escudo-Roxo

A carqueja-de-escudo-roxo (Fulica rufifrons) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Brasil, Chile, Ilhas Malvinas, Paraguai, Peru, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul e Uruguai.
Os seus habitats naturais são: pântanos.

Ficheiro:Red-fronted Coot.jpg

Carquja-de-Bico-Amarelo

A carqueja-de-bico-amarelo (Fulica leucoptera) é uma espécie de ave da família Rallidae.
Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Ilhas Malvinas, Paraguai, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul e Uruguai.
Os seus habitats naturais são: pântanos e lagos de água doce.

Ficheiro:Fulica leucoptera GALLARETA CHICA.jpg

Picaparra

O picaparra mede aproximadamente 28 cm de comprimento e mede 130 gramas. Apresenta plumagem predominantemente marrom, bico vermelho, pescoço comprido e cauda negra. A coroa e o pescoço são caracteristicamente rajados de preto e branco. Os pés são amarelos e os dedos possuem anéis negros. As fêmeas apresentam as bochechas coradas de canela e as pálpebras de vermelho durante a reprodução.
Alimenta-se de insetos, aranhas, pequenos caranguejos, peixes e plantas aquáticas. Pernoita empoleirado na vegetação, sobre a água. Voa rente à água. Durante o período reprodutivo, esticam o pescoço rente à água e nadam em círculos, com as asas levantadas. A fêmea coloca dois ovos branco-amarelados manchados de castanho e a incubação dura 11 dias. Os filhotes, após o nascimento, são abrigados em uma concavidade existente sob a asa do pai, protegida por penas.
Vive em charcos e pântanos. Encontrada do México à Bolívia e nordeste da Argentina. No Brasil, está presente em toda a Amazônia e em baixadas florestais do leste da Bahia à Santa Catarina.

Ficheiro:Sungrebe2.jpeg

Ficheiro:Masked Finfoot.JPG

Pavãozinho-do-Pará

Eurypyga helias, conhecido popularmente por pavãozinho-do-pará ou pavão-papa-moscas, é uma ave da família Eurypygidae. Mede aproximadamente 45 cm de comprimento.
Vive junto às margens de rios, lagos e igarapés. Encontrado do México à Bolívia e Brasil, na região amazônica de Amazonas, Pará, Piauí, Goiás e sul de Mato Grosso.
Alimenta-se de insetos, crustáceos, rãs e peixes pequenos, caçando-os com movimentos em ziguezague com a cabeça. Finge-se de ferida ao defender o ninho, ou então abre as asas para exibir a plumagem, ao mesmo tempo em que emite um sibilo similar ao de uma cobra.
O ninho, construído próximo à água, possui o formato de uma tigela rasa, feita de fibras, folhas e raízes embebidas em lama. Colocam de um a dois ovos grandes, amarelados com pintas acastanhadas, os quais são chocados por 26 a 27 dias. Os filhotes já nascem emplumados, permanecendo no ninho de 21 a 25 dias.

Ficheiro:Eurypyga heliasPCCA20051227-2000B.jpg

Seriema

Seriema, sariema ou siriema é o nome vulgar dado às aves pertencentes à família Cariamidae, da ordem Cariamiformes. São aves de médio porte, terrestres, que preferem correr a voar. O grupo é nativo da América do Sul e habita zonas de pradaria ou florestas abertas. As Seriemas alimentam-se de insetos, lagartos e pequenas cobras, como também de cajuis e cajus do cerrado. Em contato com os humanos, as Seriemas são sempre desconfiadas e quando se sentem ameaçadas por eles, costumam abrir suas asas e enfrentá-los. Diz a lenda que o canto deste pássaro indica o final da época das chuvas.
Aceitam diferentes tipos de alimentos dados pelo homem, como grãos de milho e pedaços de pão. Andam em casais ou pequenos grupos. Só voam quando se sentem obrigadas. À noite abrigam-se no alto das árvores, onde também constroem seus ninhos. Do tupi, siriema=pequeno nhandú, ou seriema=nhandú com crista.

Ficheiro:Kariáma.jpg

Ficheiro:Sireima 2 REFON.JPG

Abetarda-Comum

É uma ave grande, mas com um único meio de defesa: a fuga. Por causa disso, ela é extremamente esquiva e assustadiça. A menor mudança no seu ambiente familiar provoca a sua suspeita, e até mesmo uma simples pedra revirada pode torná-la cautelosa. Nunca se arrisca. Quando perturbada tende a correr para se afastar do local rapidamente, se bem que também pode levantar vôo. Passa o seu tempo escondida entre as plantações de cereais e nas estepes da Europa oriental, Norte da África e Península Ibérica. No inverno é encontrada também na Austrália, na Índia, no sul e no centro da África. Mas esconder-se, no seu caso, não é fácil, pois é uma das maiores aves.
A abetarda vive em bandos de cerca de 20 indivíduos, alimentando-se de plantas, sementes e insetos. Em fevereiro, começa a estação de acasalamento e o comportamento dessa ave muda muito: os grupos se desfazem e as aves andam sem rumo, até o início da época em que vão para o campo construir ninhos. Estranhamente, quando nascem os filhotes, essa ave cautelosa passa a atrair os intrusos com o objetivo de os afastar das crias.

Ficheiro:Dabao.jpg

Abetarda-Gigante

Ficheiro:Ardeotis kori Etosha.JPG

Abetarda-de-Barriga-Branca

Ficheiro:Eupodotis senegalensis1.jpg

Abetarda-de-Rüpell

Ficheiro:Eupodotis rueppellii.jpg

Abetarda-Gindiana

Ficheiro:Crested Bustard - Eupodotis ruficrista gindiana.jpg

Abetarda-de-Poupa

Ficheiro:Red-crested Korhaan 2373303625.jpg

Abetarda-de-Asa-Preta

Ficheiro:Eupodotis afra.jpg

Abetarda (Eupodotis Afraoides)

Ficheiro:Eupodotis afraoides -Kgalagadi Transfrontier Park, Botswana-8.jpg

Abetarda (Eupodotis Hartlaubii)

Ficheiro:Lissotis hartlaubi2.jpg

Sisão

O sisão (Tetrax tetrax) é uma ave da família Otididae. É um parente próximo da abetarda, sendo, contudo muito menor que esta espécie.
Freqüentam terrenos abertos, nomeadamente searas e pastagens. Em Portugal tem uma distribuição ampla, sendo particularmente freqüente no Alentejo. Está presente durante todo o ano.


Ficheiro:Tetrax male 1.JPG

Grou

Gruidae é uma família de aves gruiformes, que inclui os animais conhecidos popularmente como grous. O grupo tem catorze espécies e está distribuído pela América do Norte, Europa e Ásia, África e o norte da Austrália.
O macho denomina-se grou, e a fêmea grua.
Os grous são aves de grande porte, geralmente com plumagem em tons de cinzento, branco e castanho. As penas secundárias das asas são muito longas e viradas para baixo, uma característica do grupo. Algumas espécies apresentam plumas ornamentais na região da cabeça. O bico é comprido e direito, o pescoço é longo bem como as patas. Os quatro dedos são curtos, estando o quarto elevado em relação aos outros.
Os grous são aves gregárias, que comunicam entre si através de vocalizações ruidosas. São migratórias e voam sempre com o pescoço estendido. Na época de reprodução constroem um ninho feito de lama e vegetação em regiões pantanosas, onde colocam dois ovos. Os juvenis recebem a atenção de ambos os progenitores.

Grou-Pequeno

Ficheiro:Anthropoides virgo.jpg

Grou-Comum

Ficheiro:Grus grus 1 (Marek Szczepanek).jpg

Grou-Canadense

Ficheiro:Grus canadensis NBII.jpg

Grou-Americano

Ficheiro:Whooping Cranes USFWS.jpg

Brolga

Ficheiro:Grus rubicunda.jpg

Grou-da-Manchúria

Ficheiro:Crane japan2.JPG

Grou-Coroado-Ocidental


Grou-Coroado

Ficheiro:Balearica pavonina1.jpg














Nenhum comentário:

Postar um comentário