domingo, 7 de agosto de 2011

Aves de Rapina Noturnas

Aves de Rapina Noturnas

Ordem de aves que inclui aves de rapina noturnas, tais como corujas, mochos, urutaus, curiangos e noitibós. São caçadoras eficientes, usando, sobretudo seus olhos extremamente aguçados e movimentos rápidos. Além disso, são extremamente atentas ao ambiente podendo girar sua cabeça em até 270° e voar silenciosamente devido a penas especiais muito macias e numerosas que compõem suas asas.

São aves tímidas, geralmente solitárias, consideradas entre os predadores mais sofisticados do mundo.

Corujas

O termo coruja é a designação comum às aves estrigiformes, das famílias dos titonídeos e estrigídeos. Tais aves possuem hábitos crepusculares e noturnos e vôo silencioso devido à estrutura das penas, alimentando-se de pequenos mamíferos (principalmente de roedores), insetos e aranhas. Engolem suas refeições por inteiro, para depois vomitarem pelotas com pêlos e fragmentos de ossos.Moram em ninhos que ficam em cima de árvores. Na região do Amazonas, algumas espécies também são chamadas de murutucu.
A superstição popular diz que adivinham a morte com o seu piar e esvoaçar. Julgava-se também que essas aves gostam de azeite por visitarem as igrejas durante a noite, onde existiam lamparinas de azeite acesas. Na realidade elas procuravam os insectos atraídos pela luz das lamparinas. Os filhotes de corujas podem ser vítimas de outros predadores como o gavião. A coruja é considerada o símbolo da sabedoria. As corujas conseguem girar o pescoço 270 graus para ambos os lados a partir da posição central[1][2][3].
O símbolo da deusa grega do saber, Atena, é a coruja. Também considerada o símbolo da filosofia para muitos filósofos.
O período da reprodução dependente da espécie. A prole é entre cinco ovos por gestação. Depois da eclosão o macho cuida dos filhotes por dois meses até que estes aprendam a se defender.
Uma das características marcantes da coruja é o fato da mesma fazer o seu ninho no solo, no local de muitas relvas baixas, próximo a árvores. Cavam no chão verticalmente até certo ponto, e depois prosseguem horizontalmente até o ponto definido para colocar o ninho livre de predadores. O macho fica de sentinela na árvore, cuidando do ninho, principalmente durante o dia. Na presença de um possível invasor os filhotes podem imitar sons de serpentes (sibilar) fazendo o agressor desistir do ataque.

Corujinha-do-Leste

Otus asio é uma espécie de ave estrigiforme, habitante da porção leste da América do Norte.

Ficheiro:Eastern Screetch-Owl.jpg


Corujinha-do-Sul



A corujinha-do-sul (Otus sanctaecatarinae) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
É uma espécie nativa da América do Sul, mais precisamente das regiões do sul do Brasil, Uruguai e norte da Argentina.
Alimenta-se principalmente de vertebrados de pequenas dimensões e de insetos.
Tem um comprimento aproximado de 27 cm (as fêmeas são de maiores dimensões).
Alguns autores consideram esta espécie como uma subespécie de Megascops atricapilla.


Corujinha-Sapo



A corujinha-sapo (Otus atricapillus) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
A espécie já esteve posicionada no gênero Megascops.


Corujinha-Oriental

Otus bakkamoena é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae que habita a maior parte do subcontinente indiano e a porção leste da Península Arábica. É uma ave parcialmente migratória. Algumas aves invernam na Índia, Sri Lanka e Malásia. Medindo de 23 a 25 cm, é a maior representante do gênero Otus. Habita em floresta e em outros locais com vegetação densa. Faz o seu ninho em buracos de árvores. É uma espécie preferencialmente noturna e alimenta-se de insetos.



Corujinha-do-Mato

A Otus choliba é conhecida como Corujinha-do-mato.
Habitat: Da Costa Rica à Bolívia, Paraguai e Argentina, bem como em todo o Brasil, principalmente em orla de matas, cerrados, sítios e cidades.
Nicho ecológico: A corujinha-do-mato não é estritamente noturna e fica quase sempre empoleirada em árvores. É uma das corujas mais comuns em cidades, parques urbanos e fazendas. Seu canto lembra o de um sapo-cururu. Caçam grandes insetos como gafanhotos e mariposas, principalmente próximo a postes de iluminação, onde estes se concentram. Menos freqüentes em sua dieta, mas também importantes são pequenos vertebrados como camundongos e pequenos pássaros. Buscam abrigo diurno em troncos de árvores mortas e podres, como aqueles feitos por pica-paus. É nesses buracos que também constrói seus ninhos.

Ficheiro:Megascops choliba-0.jpg


Corujinha-de-Roraima



A corujinha-de-roraima (Otus guatemalae) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.


Corujinha (Flammulated)

Otus flammeolus é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
É uma ave de hábitos noturnos, predatória, de aproximadamente 15 cm de comprimento. A envergadura de asas é 36 cm.
Reproduz-se no Sul da Colúmbia Britânica e no Oeste dos Estados Unidos da América. Nidifica em cavidades de árvores. Após um período de incubação de 26 dias, nascem 3 a 4 crias.
Alimenta-se essencialmente de insetos, mas caça também pequenos roedores (ratos) e outras pequenas presas.
É uma ave migratória, abandonando a maior parte da América do Norte no Outono.

Ficheiro:Flammulated owl.jpg

Coruja-das-Torres-do-Oeste

Otus kennicottii é mais conhecida como Coruja das Torres do Oeste, é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae, habitante das florestas decíduas da porção oeste da América do Norte.
Esta coruja tem uma variação muito pequena de cores, comparada com as suas parentes, pois só é cinza.

Ficheiro:WesternScreechOwl23.jpg

Coruja-das-Filipinas

Otus megalotis é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae, típica das Filipinas.

Ficheiro:Philippine Scops Owl.jpg


Coruja-Orelhuda



A coruja-orelhuda de hábitos noturnos é uma coruja da família dos estrigídeos, com ampla distribuição na América Central e do Sul, com exceção das áreas florestais da Amazônia. Tais aves chegam a medir até 37 cm de comprimento, penacho da cabeça longo e proeminente e disco facial branco margeado de negro. Também são conhecidas pelos nomes de coruja-gato. Às vezes é confundida com o mocho orelhudo, que possui algumas características idênticas, mas ele é maior e mais pesado.
A coruja orelhuda é uma espécie relativamente grande atingindo de 30 cm a 37 cm de comprimento, envergadura de 22,8 a 29,4 cm pesando entre 320-546g. Ocorre da Venezuela a Bolívia, Paraguai, Argentina, Uruguai e em todo o Brasil com exceção da floresta amazônica. Vive em bosques, borda de matas, áreas abertas com árvores, podendo ser encontrada também em áreas urbanas bastante arborizadas. É uma coruja estritamente noturna tornando-se ativa já no pôr-do-sol. Durante o dia fica camuflada nas arvores. Também é visto freqüentemente em arames à margem de estrada, postes etc. Têm as asas curtas e uma cauda longa, seus olhos são relativamente grandes, escuros e marrons, quase imóveis resultando num campo visual bem limitado sendo compensada pela capacidade que possuem de girar a cabeça a mais de 270º Além da poderosa visão, assim como nas outras corujas, essa espécie possui um disco facial branco fortemente definido bem destacado que desempenha importante papel de refletor sonoro, que amplia o volume do som facilitando a localização da presa. Esta coruja tem "orelhas" bem destacadas, que na verdade são penachos bem desenvolvidos localizados acima de suas orelhas, possuindo tarsos poderosos para seu tamanho. Emitem vocalizações bastante variadas, geralmente seqüência prolongada de "áut-áut-áut".


Mocho-de-orelhas

O mocho-d’orelhas (Otus scops) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.



Mocho-de-orelhas-Africano

O Mocho-de-orelhas-africano (Otus senegalensis) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.

Ficheiro:African Scops owl.jpg

Corujinha-Orelhuda

A corujinha-orelhuda (Otus watsonii) é uma coruja da família dos estrigídeos, encontrada no interior da Amazônia. Tais aves medem cerca de 22 cm de comprimento, com plumagem escura e penachos longos e eriçados nos lados da cabeça. Também são conhecidas pelo nome de corujinha-amazônica.


Coruja-de-Face-Branca

Ptilopsis leucotis é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.


Ficheiro:White-faced Owl.jpg

Coruja-da-Virgínia

O corujão-da-virgínia ou corujão-orelhudo (Bubo virginianus) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae. Também é conhecido pelos nomes de mocho-orelhudo ou jucurutu.
Com 52 cm e peso superior a 1 kg, é a maior coruja do continente americano. É também a única espécie de seu gênero (Bubo) que vive nas Américas. Ocorre da América do Norte à Terra do Fogo. No Brasil, aparecem na Amazônia, Centro-oeste, Nordeste e Leste.

Ficheiro:Bubo virginianus -Canada-6.jpg

Bufo-Magellanicus

Bubo magellanicus é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.

Ficheiro:Bubo magellanicus.jpg

Bufo-Real

O bufo-real (Bubo bubo) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae. É, atualmente a maior espécie de coruja existente no planeta, chegando a 86 cm de comprimento, 1,70 a 2,10 metros de envergadura e pode pesar até 5,5 quilos.O Bufo-Real tem uma longevidade bastante extensa que pode variar de 10 a 20 anos.
Está presente na Europa, Ásia e África. É mais comum no nordeste da Europa, mas também na zona circundante ao Mar Mediterrâneo, incluindo a Península Ibérica, sendo contudo bastante raro. Habita terrenos rochosos com ou sem bosques, afastados da presença humana. Nidifica em cavidades de troncos de árvores e a postura é de 2 a 3 ovos, entre Abril e Maio.
Trata-se de um predador de topo, encontrando-se nos lugares mais elevados na cadeia trófica. Alimenta-se de ratos, ratazanas, gaivotas, patos, lebres e inclusive de outros bufos e aves de rapina. É violentamente atacado por gaivotas e gralhas em bandos. É principalmente noturno e emite os seus chamamentos ao anoitecer e ao amanhecer. A sua vocalização é um uuu-uu repetido e grave. Caracteriza-se pelos dois tufos de penas no alto da cabeça – que retrai durante o vôo –, grandes olhos de íris laranja, o ventre pálido e listado e dorso jaspeado e escuro com manchas claras.

Ficheiro:Uhu-3.jpg

Bufo-Malhado

O bufo-malhado (Bubo africanus) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
A sua área de distribuição restringe-se à África subsaariana e Península Arábica.

Ficheiro:Spottedeagleowl.jpg

Bufo-do-Cabo (Bubo Capensis)

Ficheiro:Bubo capensis.jpg

Bufo-Oriental (Bubo Ascalaphus)

Ficheiro:Bubo ascalaphus -Kakegawa Kacho-en, Kakegawa, Shizuoka, Japan-8a.jpg

Bufo-de-Bengala

O Bufo-de-Bengala (Bubo bengalensis) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae. A espécie é típica do subcontinente indiano.

Ficheiro:Bengaalse oehoe.JPG

Bubo Cinerascens

Ficheiro:Bubo cinerascens.jpg

Bubo-Nipalensis

Ficheiro:SpotbelliedEagleOwl.jpg

Bubo-Sumatranus

Ficheiro:Bubo sumatranus -Kuala Lumpur Bird Park-8a-2cp.jpg

Bufo-de-Verraux

O Bufo-de-verraux (Bubo lacteus) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à famíliaStrigidae. Com uma envergadura de cerca de 2 m, o bufo-de-verraux é um dos maiores membros do seu grupo.
O bufo-de-verraux habita a África subsaariana. Alimenta-se de lebres, coelhos, mangustos, e outros mamíferos de pequeno porte. Como todas as outras corujas e mochos, o bufo-de-verraux é uma ave de hábitos noturnos.

Ficheiro:Verreaux's Eagle Owl in Larsens Camp.jpg

Bufo-Fillipensis

Ficheiro:Bubo philippensis.jpg




Bubo-Blakistoni

Ficheiro:Blakiston`s fish owl.jpg

Bubo-Zeylonensis

Ficheiro:Brown Fish Owl; Ketupa zelolensis.jpg

Coruja-Pescadora (Bubo Flavipes) 

Ficheiro:Tawny Fish Owl.jpg

Bubo-Ketupu

Ficheiro:PICT8572 Sunda-Fischuhu.jpg

Corujão Pesqueiro-de-Pel (Scotopelia Peli)

Ficheiro:Pel's Cropped.jpg

Coruja-dos-Pagodes (Strix Seloputo)

Ficheiro:Strix seloputo juv Taman safari Java.jpg

Coruja-Madeira-Marrom


Aluco

O aluco (Strix aluco) é uma coruja da família dos estrigídeos, encontrada na Europa, África e Ásia. Também é conhecida pelo nome de coruja-do-mato.
É responsável pelos sons de corujas mais familiares, mas apesar de ser muito escutada é poucas vezes observada. O seu piar parece um assobio muito grave, normalmente em séries de dois ou três, huu ... pausa ... huu-huu-huu, podendo piar por longas horas.
Tem um comprimento de 37–43 cm e uma envergadura de asas de 81–96 cm. O seu vôo é plano e direto. Apresenta o dorso castanho e malhado de castanho-amarelado. A parte inferior é castanho amarelada com faixas verticais castanhas. Apresenta um disco facial muito marcado, de cor mais clara, e olhos grandes e castanhos escuros.
É uma ave sedentária, que freqüenta cidades e jardins, matas e florestas de folha decídua. Alimenta-se de pequenos mamíferos e aves. É essencialmente noturna, com uma visão apurada. A sua retina têm 56.000 bastonetes por milímetro quadrado, permitindo-lhe ver uma presa a alguns metros de distância apenas com a luz de uma vela afastada 500 metros.
Faz ninho em buracos de árvores ou edifícios, pondo 2 a 4 ovos. Defende ferozmente o seu ninho, podendo atacar humanos. Como o seu vôo é muito silencioso, pode não ser detectada a tempo. Ataca a face do oponente com as suas fortes patas, podendo causar lesões graves.

Ficheiro:Strix aluco aluco.jpg


Coruja-Listrada



A coruja-listrada (Strix hylophila) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.



Coruja-Palestina (Strix Butleri)


Coruja-Manchada-do-Norte (Strix Occidentalis)

Ficheiro:Northern Spotted Owl.USFWS-thumb.jpg

Strix-Varia

Ficheiro:Strix-varia-005.jpg

Coruja-dos-Urais

A coruja-dos-urais (Strix uralensis) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
É uma ave noturna de porte médio a elevado. Os sexos são similares, não havendo variações sazonais. Ocorre na Europa e Ásia. Alimenta-se de pequenos roedores e de aves
Existem 15 subespécies da coruja-dos-urais.

Ficheiro:Strix uralensis -Banham Zoo, Norfolk, England-8a.jpg

Coruja-Lapónica (Strix Nebulosa)

Ficheiro:Strix nebulosaRB.jpg

Coruja-da-Floresta (Strix Woodfordii)

Ficheiro:African Wood Owl (Strix woodfordii) perched on branch.jpg

Coruja-do-Mato

A coruja-do-mato (Ciccaba virgata) é uma coruja da família dos estrigídeos, florestal, que ocorre da Venezuela à Bolívia e Argentina, bem como no Brasil, sendo mais comum na região da Amazônia. Tais aves chegam a medir até 34 cm de comprimento, com plumagem estriada nas partes inferiores e sem orelhas. Também são conhecidas pelo nome de mocho-carijó.

Ficheiro:Mottled Owl.jpg

Coruja-Preta

A coruja-preta (Ciccaba huhula) é uma coruja da família dos estrigídeos, que ocorre da Venezuela ao Paraguai, Argentina e em algumas regiões do Brasil, quase sempre em matas altas. Tais aves chegam a medir até 35 cm de comprimento, com plumagem negra com listras brancas, bico e tarsos amarelos. Também são conhecidas pelo nome de mocho-negro.



Coruja-de-Crista

Lophostrix cristata, popularmente conhecida como coruja-de-crista, é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.


Ficheiro:Lophostrix cristata -Panama-8.jpg

Murucututu

O murucututu ou murucutu (Pulsatrix perspicillata) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae. É a maior coruja tropical e umas das maiores do Brasil. Apesar do seu tamanho, o murucututu caça animais relativamente menores, como pequenos roedores, artrópodes e mamíferos. O murucututu nidifica geralmente em cavidades de árvores, pondo 1 ou 2 ovos do quais apenas sobrevive um juvenil, de penugem branca e uma mascara facial preta...
Também é conhecido pelos nomes de coruja-do-mato, corujão, corujão-orelhudo, mocho-mateiro e murucutu.

Ficheiro:Pulsatrix perspicillata.jpg

Urucututu-de-Barriga-Amarela

O murucututu-de-barriga-amarela (Pulsatrix koeniswaldiana) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
Endêmica no sudoeste do Brasil e áreas adjacentes do Paraguai e Argentina, em zonas de floresta atlântica e mata aberta.
Possui um disco facial castanho, sobrancelhas ocre e branco ao redor do bico. Dorso castanho escuro e cauda com faixas transversais brancas. Tem um colar largo da mesma cor e o ventre é de cor ocre clara (dando origem ao seu nome comum).

Ficheiro:Pulsatrix koeniswaldiana front.jpg

Coruja-Gavião

A coruja-gavião ou mocho-rabilongo (Surnia ulula) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.

Ficheiro:Surnia-ulula-002.jpg

Mocho-Pigneu (Glaucidium Passerinum)

Ficheiro:Glaucidium passerinum am3.jpg

Mocho-Perlado (Glaucidium Perlatum)

Ficheiro:Pearl-spotted Owlet Glaucidium perlatum National Aviary 1900px.jpg

Mocho-Pigneu-do-Norte (Glaucidium Californicum)

Ficheiro:Northern pygmy-owl.jpg

Mocho-Pigneu-da-Costa-Rica
(Glacidium Costaricannum)

Ficheiro:Costa Rican Pygmy-owl (Glaucidium costaricanum) on branch.jpg

Mocho-Pigneu-das-Andinas
(Glaucidium Jarinii)

Pode ser encontrado na Bolívia, Colômbia, Costa Rica, Equador, Panamá, Peru e Venezuela.
O seu habitat natural é a floresta de montanha subtropical ou tropical úmida.

Ficheiro:Andean Pygmy-owl (Glaucidium jardinii) in tree.jpg

Caburé-da-Amazônia



O caburé-da-amazônia (Glaucidium hardyi) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.

Ficheiro:Amazonian Pygmy-owl (Glaucidium hardyi) in tree.jpg


Caburé-Acanelado



Aegolius harrisii, popularmente conhecido como caburé-acanelado, é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.

Buff-fronted Owlet



Caburé-Miudinho



O caburé-miudinho (Glaucidium minutissimum) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.


Caburé 



O caburé (Glaucidium brasilianum) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.

Ficheiro:Cactus Ferruginous Pygmy-owl.jpg

Mocho-Pgneu-Australiano
(Glaucidium Nanum)

Ficheiro:Austral Pygmy-owl (Glaucidium nanum).jpg

Mocho-Pgneu-Cubano
(Glaucidium Siju)

Ficheiro:Cuban Pygmy-owl (Glaucidium siju).jpg

Glaucidium Cuculoides

Ficheiro:Raw25-Dooars DSC0013 Jungle owlet himadrimondal crp-tight.jpg

Mocho-Barrado
(Glauciduim Capense)

Ficheiro:Glaucidium capense.jpg

Mocho-Duende (Micrathene Whitneyi)

 É a menor das aves da sua família e tem o tamanho de um pardal. A espécie vive durante o verão no Sudoeste dos Estados Unidos da América, migrando para o México nos meses de Inverno.

Ficheiro:Elf Ow Cropped very small.jpg

Coruja-Buraqueira

A coruja-buraqueira (Athene cunicularia, anteriormente Speotyto cunicularia, com cunicularia significando "pequeno mineiro") recebe esse nome por viver em buracos cavados no solo. Embora seja capaz de cavar seu próprio buraco, prefere os buracos abandonados de outros animais. É uma coruja terrícola e de hábitos diurnos embora tendam a evitar o calor do meio-dia. Ocorre do Canadá à Terra do Fogo, bem como em quase todo o Brasil, mas com a exceção da bacia Amazônica. Tais aves chegam a medir até 27 cm de comprimento. Vivem no mínimo 9 anos em habitat selvagem e 10 em cativeiro. Coloca geralmente de seis a doze ovos. Costumam viver em campos, pastos, restingas, desertos, planícies, praias e aeroportos. Os predadores documentados dessa coruja incluem texugos, serpentes e doninhas. Também são conhecidas pelos nomes de: caburé-de-cupim, caburé-do-campo, coruja-barata, coruja-do-campo, coruja-mineira, corujinha-buraqueira, corujinha-do-buraco, corujinha-do-campo, guedé, urucuera, urucureia e urucuriá.

Ficheiro:Coruja olho verde REFON.JPG

Ficheiro:Athene cunicularia2.jpg

Owlet Manchada (Athene Brama)

Ficheiro:Spotted Owlet.jpg

Mocho-Galego

O mocho-galego (Athene noctua) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.

Ao género Athene pertence outra espécie, Athene brama, sendo que recentemente duas outras espécies deixaram de pertencer a este gênero.
É um animal de hábitos marcadamente noturnos, embora, quando as condições o permitam, seja comum observá-lo durante o dia ou crepúsculo, sendo uma das espécies de Strigiformes mais avistadas durante o dia. Encontra-se entre as espécies menores desta ordem de aves, atingindo em média 23 a 27,5 cm de comprimento, não havendo divergência entre sexos.
Distribui-se por toda a Europa, grande parte da Ásia e Norte de África. É uma espécie bastante comum na sua área de distribuição.
De caráter oportunista, na dieta deste animal estritamente carnívoro (assim como todos os restantes mochos e corujas) figuram os mais variados tipos de presa: desde invertebrados terrestres, anfíbios, répteis, outras aves, e até mesmo animais atropelados em vias rodoviárias, de entre outros.
É uma espécie sedentária, com preferência para zonas de planície e vegetação baixa, embora seja uma espécie com bastante polivalência em relação a este aspecto, sendo observada nos mais diversos tipos de habitat, incluindo zonas urbanas.
Habitualmente constrói o ninho em tocas nas árvores ou rochedos. As fêmeas depositam 3 a 5 ovos, cujas crias nascem após 28 dias de incubação.

Ficheiro:Athene noctua.jpg

Aegolius-Funereus

Ficheiro:Aegolius-funereus-001.jpg

Coruja-Serra-Afiada (Aegolius Acadicus)

Ficheiro:Northern saw-whet owl.jpg

Coruja-Poderosa (Ninox Strenua)

Ficheiro:Powerful Owl mt coottha.JPG

CorujaLavradora
(Ninox Novaeseelandiae)

Ficheiro:Boobook at dusk.jpg

Coruja-de-Agulhas (Ninox Scutulata)

Ficheiro:Brown Hawk Owl (Ninox scutulata) at Samsing, Duars, West Bengal W IMG 5932.jpg

Coruja-Jamaicana
(Pseudoscops Grammicus)

Ficheiro:Jamaican Owl 2506951138.jpg

Coruja-Diabo

A coruja-diabo ou mocho-diabo (Asio stygius) é uma coruja da família dos estrigídeos, que ocorre localmente do México e Antilhas à região do Paraguai, Brasil e Argentina. Tais aves chegam a atingir 38 cm de comprimento, possuindo grandes penachos na cabeça, disco facial e partes superiores negras, partes inferiores estriadas e íris amarela.
Vive em áreas de cerrado e em florestas artificiais de pinheiros, na Amazônia, Centro-oeste, Sudeste e Sul.
O mocho-diabo recebe esse nome devido a sua coloração escura e pela cor vermelho brilhante dos olhos ao refletir a luz incidente, lembrando a figura de um "demônio". Os machos são normalmente menores e mais leves do que as fêmeas.

Ficheiro:20100216-mocho-diabo-hgfischer.jpg

Coruja-Pequena

A coruja-pequena, bufo-pequeno ou mocho-pequeno (Asio otus) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae. Esta coruja habita a Europa e América do Norte e é parcialmente migratória.

Ficheiro:CRW 2987.jpg

Coruja-do-Nabal

A coruja-do-nabal, também conhecida como coruja-dos-campos, coruja-do-banhado ou mocho-dos-banhados (Asio flammeus), é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
Medindo 37 cm, migratória, veio da América do Norte, atravessando os Andes até a Terra do Fogo. Vive em amplos banhados e caça durante o dia. No Brasil, ocorre de Minas Gerais e São Paulo até o Rio Grande do Sul. É comum nas regiões setentrionais da Europa e da Ásia.
Em Portugal é um visitante de Inverno que ocorre nas principais zonas húmidas do centro e sul do território.






Ficheiro:Asio-flammeus-001.jpg

Coruja-Moura

A Coruja-moura ou Coruja-dos-pântanos (Asio capensis) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
Atualmente os locais de nidificação mais próximos situam-se em Marrocos. Em Portugal a Coruja-moura terá nidificado junto ao estuário do Tejo, até ao final do século XIX, segundo testemunhos do Rei D. Carlos I, contudo as informações existentes são demasiado imprecisas para poder caracterizar a situação desta espécie no país. Não se conhecem registros recentes.

Ficheiro:Marsh owl (Asio capensis).jpg

Tyto Rosenbergii

Ficheiro:Sulawesi owl Q0S0008.jpg.jpg

Coruja-das-Torres

A coruja-das-torres (Tyto alba) é uma coruja da família dos titonídeos, também conhecida pelos nomes de coruja-da-igreja, coruja-branca, coruja-católica e rasga-mortalha. Habitam em diversos lugares do mundo, em geral, em todos os continentes exceto a Antártica, gostam de lugares abertos e de climas que variam de temperados aos tropicais.
Mede cerca de 25-45 cm de comprimento, com uma envergadura de cerca de 75-110 centímetros. A forma da cauda é uma maneira de distinguir a coruja-das-torres de verdade quando vista em vôo, como os movimentos são oscilantes e abrir das pernas balançando as penas. O rosto com a sua forma peculiar e os olhos negros dâo à ave voando uma aparência estranha e surpreendente, a crista de penas acima do bico se assemelha a um nariz.
Seu peso varia de 250 a 700 g., as fêmeas são geralmente 25% maiores que os machos, podem viver até 10 anos em ambiente selvagem, a Coruja-das-torres mais velha conhecida vivia em cativeiro na Inglaterra e ja havia completado 25 anos quando deixou de por ovos. É uma ave de médio porte, com cores castanho-claro e manchas pretas nas costas e parte de trás da cabeça, além de pequenas e finas manchas pretas ou marrom escuras espalhadas por todo o corpo exceto na parte interna das asas (parte "de baixo"). Seu peito, e toda parte inferior do corpo, tal como a área interna das asas são de cor branca, podendo também apresentar-se na cor branco-acinzentado ou branco amarelado. A plumagem é suave e densa, com delicadas extremidades nas asas para abafar o som produzido pelas mesmas ao se moverem. As asas são redondas nas bordas e tem curvatura bastante suave, medem em média 107 cm em membros adultos. As linhas lacrimais seguem dos olhos até o bico. Bico tem forma de gancho para dilacerar carne. O pescoço tem área de "giro" de 270° para compensar o fato de seus olhos serem imóveis, elas costumam balançar a cabeça da esquerda para a direita quando estão curiosas ou analisando o ambiente, pois assim elas aumentam a área que visualizam e podem visualizar as imagens tridimensionalmente. A cauda é utilizada como estabilizador durante o bote. As pernas longas e poderosas amortecem o impacto das aterrissagens e estão cobertas de penas brancas até o tarso, onde geralmente não há abundância de penas. Os ouvidos assimétricos permitem localizar as presas no escuro pois sua capacidade auditiva lhe permite diferenciar o tempo que o som chega em cada ouvido, os grandes discos faciais atuam como uma antena nesse complexo sistema auditivo, recolhendo sons o canalizando-os para os ouvidos.
Tem excelente visão noturna. Possui a capacidade de distinguir na escuridão a uma altura de 10 metros qualquer coisa que se movimente no solo. Possui a visão cem vezes melhor que a dos homens e necessita de apenas 10 por cento da luz que o olho humano usa para distinguir alguma coisa. Isso pode ser explicado por ela ter olhos enormes em relação ao seu tamanho, e a forma alongada (ao contrário do esférico sistema ótico humano) se alarga em direção à retina, abrindo espaço entre a pupila e o cristalino.

Ficheiro:Tyto alba close up.jpg

Ficheiro:Tyto alba 1 Luc Viatour.jpg

Coruja-das-Neves

A coruja-das-neves ou coruja-do-ártico (Nyctea scandiacus) é uma espécie de ave estrigiforme pertencente à família Strigidae.
A coruja-das-neves mede entre 53 e 65 cm de comprimento, com uma envergadura entre 1,25 e 1,50 m. Podem pesar de 1,8 até 3 kg. Apresenta dimorfismo sexual: o macho adulto é virtualmente branco puro, enquanto a plumagem das fêmeas é ligeiramente mais escura, o que lhe garante uma melhor camuflagem quando se encontra no solo fazendo o ninho. Os imaturos possuem manchas negras no abdome. As crias eclodem cobertas de uma penugem branca, que, após dez dias, escurece para um cinza que fornece melhor camuflagem. O bico da coruja-das-neves, grande e afiado, é preto e é parcialmente escondido na penugem, possuindo uma forma arredondada. A íris é amarela. As asas grandes e largas permitem à coruja-do-ártico voar rente ao solo ou acelerar em perseguição das presas. As garras compridas e curvas permitem-na capturar e matar as presas. A plumagem densa que cobre as patas protege contra o frio.
Encontrada exclusivamente na tundra, habita regiões geladas como a parte norte dos Estados Unidos, Canadá, Alasca, norte da Eurásia, além de regiões do Ártico. No inverno, migram longas distâncias para sul. Sua localização máxima registrada ao sul compreendeTexas, Georgia, a porção americana do Golfo do México, sul da Rússia, norte da China e até mesmo o Caribe.

Ficheiro:Snowy.owl.overall.arp.750pix.jpg



Urutaus


Os urutaus são aves noturnas restritas às regiões mais quentes do Novo Mundo, que pertencem ao gênero Nyctibius e à família Nyctibiidae. Também são chamados de mãe-da-lua. Conhece-se um fóssil de Nyctibius griseus do Pleistoceno de Lapa da Escrivaninha, Lagoa Santa, Minas Gerais.


O urutau é uma ave de hábitos noturnos. Sua alimentação é constituída basicamente de insetos que apanha em pleno vôo, principalmente os grandes, porém pode comer outros animais de pequeno porte, como morcegos, lagartos e pequenos pássaros.
É uma ave que utiliza muito bem sua plumagem para se camuflar. Normalmente se passa por um pedaço de madeira, um galho de árvore ou mesmo troncos partidos ou em pé. Costuma ficar estático, não se assustando facilmente. Alcança até 37cm fora a cauda. Não é uma espécie acostumada ao convívio urbano.

Urutau-Comum


O urutau-comum (Nyctibius griseus) é uma ave da família dos nictibídeos, presente da região da Costa Rica à Bolívia e em todo o Brasil, bem como na Argentina e no Uruguai. Tais aves chegam a medir 37 cm de comprimento e possui plumagem variando entre marrom ou cinzento e peito com desenho negro.

Ficheiro:Nyctibius griseus 471885191 27f931630d o.jpg

Urutau-Grande

Nyctibius griseus, conhecido popularmente como urutau-grande ou mãe-da-lua-gigante, é uma ave da família Nyctibiidae.
O urutau-grande mede aproximadamente 54 cm, com envergadura de 1 metro de comprimento, e pesa entre 360 e 600 gramas. Ocorre do sul do México e nordeste da Guatemala até a Bolívia e sudeste do Brasil.
Alimenta-se principalmente de insetos (especialmente besouros) e morcegos. Sua voz é um fortíssimo grito gutural e monossilábico (groaa), repetidos a intervalos entre 10 e 20 segundos.

Ficheiro:Nyctibius cf grandis Whaldener Endo.jpg

Curiango


O curiango-comum (Nyctidromus albicollis) é uma ave strigiforme, caprimulgídea, bastante comum, distribuída desde o Sul do México até o Nordeste da Argentina. A plumagem tem uma coloração pardo-amarelada finamente pintada de preto e com manchas pretas maiores, rêmiges pretas com fita branca. Também chamada de bacurau, curiangu, coriavo, engole-vento e mariangu.

Ficheiro:Nictydromus albicolis.jpg


Acauã



O acauã (Herpetotheres cachinnans), lembra uma coruja, e é especialista em cobras arborícolas e terrestres, carregando-as em pleno vôo. Caça também morcegos, roedores, lagartos e peixes. Vocaliza muito, mais no crepúsculo e inicio da noite, um som fúnebre. Em dias quentes, permanece por muito tempo no mesmo poleiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário